Tudo sobre a criação de periquitos



Este artigo é para que gosta e admira essa ave linda e dócil e deseja ter como animal de estimação ou mesmo pensa em procria-los. Mas não é somente ter um periquito e coloca-lo em uma gaiola qualquer. 

Assim como este ou quaisquer outros animais de estimação, eles exigem cuidados importantes e que quem busca em tê-los devem saber. 

Primeiramente, poucas pessoas sabem de fato, de onde eles vêm, o que comem e qual ambiente necessário para cria-los. E é exatamente sobre este e outros assuntos que iremos tratar.



Os periquitos são aves originárias da Austrália da classe dos Melopsittacus undulatus, é o nome científico desta família de aves assim como os papagaios, araras, cacatuas, calopsitas, maracanãs e outras. Porem, neste artigo em especial iremos somente tratar dos periquitos. 

A primeira migração desta ave fora do continente Australiano foi em 1.840 por um Inglês, e ao reconhecer a facilidade de adaptação desta ave em cativeiro, ganhou-se popularidade.  Originário do interior da Austrália o periquito Australiano vivia em um ambiente árido e seco e de muito calor, porém conseguiu se adaptar bem a Europa. 

Essas aves são extremamente sociáveis podem viver em um bando de 20 a 40 pássaros juntos, podendo chegar a um número bem maior em se habitat natural.



Periquito Australiano em seu ambiente natural

Os periquitos Australianos são dóceis e seus filhotes frágeis, caso tenha adquirido um filhote, veja os principais cuidados:

Eles precisam se alimentar de forma devida, por isso quando se adquiriu um periquito Australiano, poderá alimenta-lo com uma “papa” especial para filhotes que pode ser encontrada em Pet Shops ou pela internet, com o auxílio de uma seringa (sem agulha, claro) ou uma colher de plástico, a exemplo clique neste link  https://lista.mercadolivre.com.br/papinha-para-periquito .


Para se adquirir um local seguro e confortável para essas aves, deve-se ser criterioso, pois irá depender da quantidade de pássaros que terá. Apenas um periquito Australiano irá precisar de muito menos espaço do que um casal em reprodução. 

Esses periquitos não são muito grandes, mas as medidas da gaiola apropriada para além do casal, os filhotes que nascerem, devem ter em média 45cm de comprimento x 35cm de altura x 25cm de largura. Seu valor em média pode variar do Pet Shop, para compras feitas online, os valores variam de R$ 50,00 a 200,00 reais, como sugestão neste link https://lista.mercadolivre.com.br/animais/gaiola-para-periquito-australiano-aves

Não é aconselhável comprar gaiolas de madeira, pois irão roer toda a gaiola, e atente-se para comprar uma gaiola que seja mais comprida do que alta. As gaiolas triangulares ou arredondadas não são as melhores para mantê-los, dê preferencia a gaiolas retangulares para que ele possa voar de um poleiro para o outro .

Em casos de gaiolas pequenas, e onde houve reprodução é aconselhável que se coloque os ninhos do lado de fora da gaiola, mas que não seja muito pequena, pois dependendo da cidade onde mora o calor excessivo poderá sufoca-los e em alguns casos até mata-los. 

Neste caso deve-se optar para a segurança e bem estar destes pássaros o ninho de Agaporins é ideal para a guarda dos filhotes seja feita com segurança e conforto para eles. Esses ninhos geralmente são formados por dois compartimentos: O pai geralmente trata os filhotes, uma das entradas será utilizada por ele. Já o outro local é onde a fêmea irá chocar os ovos. As medidas ideais para este tipo de ninho é de 25cm de comprimento x 14 centímetros de largura x 11 de altura.


Ninho de dois compartimentos

A reprodução do periquito Australiano se dará quando as mudanças das penas estiverem feitas por completo. Eles devem estar cantando e os machos devem estar com a membrana que cobre a parte superior em um tom de azul já as fêmeas ficam em um tom marrom. 

Eles se forem bem tratados podem chocar o ano inteiro, mas o ideal não é que isso aconteça, pois poderá desgastar o casal de periquitos. Caso já tenha um casal, o ideal é adaptar a gaiola com o ninho.  Cada ninhada gera em média 05 (cinco) filhotes e o período de incubação é de 18 (dezoito) dias, mas pode chegar a 21. 

De qualquer forma a reprodução é rápida e alimentação dos pais deve ser reforçada, além da comida básica (ração ou sementes) poderá reforçar com ovo, legumes e até couve.
A alimentação do periquito Australiano consiste em uma mistura de sementes: essa mistura é composta de painço normal, vermelho, verde e preto, alpiste, sementes de girassol, aveia, senha. 

Essa mistura é vendida em Pet Shops, lojas de produtos agropecuários ou supermercados. A mistura é essencial, mas vale lembrar que alimentos como: couve, jiló, pepino, almeirão, folhas de mostarda, cenouras também são bem aceitas.


Mistura para periquitos Australianos

Caso tenha a intenção de construir um viveiro para os periquitos Australianos o ideal é que primeiramente desenvolva um projeto. Não é necessário que um arquiteto faça o trabalho, mas escolha um local fresco e arejado para a construção do viveiro. 

Existem alguns tipos de viveiros, alguns feitos de alvenaria, outros de outros de chapas galvanizadas, mas o importante é que suportem o numero de periquitos que estiverem lá, não se esquecendo dos ninhos para a reprodução variando de acordo com o numero de casais.




Viveiro para periquitos Australianos

É incrível, mas os periquitos Australianos podem aprender a falar sim. Existe um periquito Australiano de nome Puck que foi registrado com o maior número de palavras em seu vocabulário. Para se levar o seu periquito a falar, o isolamento é fundamental. 

É importante que ele fique longe dos demais pássaros da casa. Periquitos que vivem em lojas de Pet Shop ou em viveiros, não irão aprender, pois irão imitar as outras aves. Para se ter inicio deve-se começar desde o nascimento. Comece sussurrando pequenas palavras perto dele e repetindo baixinho. 

Apesar de serem da família dos papagaios, eles levam muito mais tempo para aprender, exige-se muito tempo e paciência, mas logo terá um periquito Australiano falante!

Como dissemos anteriormente, para saber se a ave é macho ou fêmea deve-se atentar a cor da narina. Se azul é macho, se do marrom para um rosado é fêmea.  Os valores desta ave podem variar, mas não ultrapassam valores de R$100,00.






Diferença entre macho e fêmea

Já o periquito inglês é o periquito Australiano, tendo em vista que foi levado da Austrália para a Inglaterra, possuem apenas algumas características um pouco diferentes. 

Seus tamanhos podem variar de pequeno para médio. Possuem a cauda mais curta, a máscara curta (manchas na região da face da ave) e as penas da cabeça são um pouco mais armadas para cima.


O tamanho das gaiolas (confira onde comprar no link https://lista.mercadolivre.com.br/animais/gaiolas-e-periquito-ingles) desta ave, deve ser aproximadamente de 80cm de comprimento x45cm de altura x 36cm de profundidade, não devem ser pequenas, pois como citado seu tamanho pode sim variar. 

Já os ninhos devem ser de tamanho maiores que os tradicionais contendo em média 32cm de comprimento x 18cm de altura x 18cm de profundidade. Gaiolas menores que essas medidas irão trazer o desconforto para os periquitos da linhagem Inglesa.


Figura 7_periquito Inglês




  
Gaiola para periquito Inglês

O acasalamento do periquito Inglês não deve ser feito em viveiros contendo outras castas de periquitos, pois podem não manter suas características, por isso se a intenção é a procriação, deve colocar os casais separados para que não se perca o pedigree do periquito Inglês.  

De 15 a 20 dias aproximadamente a fêmea coloca o primeiro ovo, uma característica peculiar é que os ovos são colocados alternadamente totalizando uma média de 05 (cinco) a 06 (seis) ovos por postura e o tempo de incubação leva 18 dias. Depois de nascidos os filhotes levam 01 (hum) mês de vida para saírem dos ninhos e logo já conseguem se alimentar sozinhos, e com aproximadamente 35 a 40 dias, já podem ser separados dos pais.


O periquito Inglês gigante pode chegar a 26cm de altura pesando até 70 gramas e sua alimentação deve variar entre alpiste, painço e aveia, mas frutas e verduras também são bem vidas e estas aves http://bicharedo.blogspot.com/2010/12/alimentacao-periquitos-ingleses.html .

Diferença entre periquito Australiano e Inglês

De forma geral os periquitos devem viver em gaiolas apropriadas de acordo com sua quantidade. Igualmente os ninhos devem ser de acordo com os casais presentes na gaiola. Essa classe de aves são pertencentes a família dos Psitacídeos

Hoje com a distribuição desta espécie o Brasil suporta a maior concentração dessas espécies variáveis sendo conhecido como “O País do Papagaio”. Os periquitos quando bem cuidados podem chegar a 15 anos de vida. 

As gaiolas devem no mínimo poder suportar a ave com as assas abertas e de preferencia onde ela possa voar ou das pulos de um poleiro para o outro e quanto maior o numero de periquitos maior deve ser a gaiola. Ao contrário do que se pensam as gaiolas redondas não são apropriadas para os periquitos, pois eles perdem a noção do espaço de onde estão e isso pode ser muito prejudicial à saúde deles. Sempre prefira as gaiolas de metal e de formato retangular ou quadradas.


Gaiolas para periquitos

Todas as pessoas podem ter acesso a esta criação de aves lindas, dóceis e falantes, apenas os cuidados com a temperatura do ambiente, o tamanho da gaiola, a mistura de castas dos periquitos, a alimentação quando filhote e quando adultos, devem ser observadas. 

No geral acaba sendo uma ótima opção para adquirir em sua loja ou sua casa, sendo o 3º animal doméstico mais amado do mundo, ficando apenas atrás dos cães e gatos.






Tudo sobre Calopsita






Nymphicus hollandicus ou calopsita. Fonte: Divulgação.

O nome científico para essa simpática e bela ave australiana é Nymphicus hollandicus. Mas você pode simplesmente chama-la de calopsita! Embora seja uma ave originaria da Austrália, a calopsita é comumente encontrada aqui no Brasil. Principalmente em cidades do interior. Em geral, pertence à família cacatuidae (cacatuas), possuem 30cm de altura, pesam entre 85 e 120g e sua expectativa de vida pode chegar até os 20 anos.

Além disso, sua maturidade sexual ocorre a partir dos 12 meses de idade e seu período de reprodução é o ano inteiro. Podendo colocar de 4 a 7 ovos por postura, sendo que sua incubação varia de 17 a 22 dias. Em suma, conta-se a partir do último ovo colocado. Ou 20 dias após o terceiro ovo. Um filhote custa em média R$120,00. Mas pode ser encontrado de R$80,00 até R$400,00!

De acordo com a legislação ambiental brasileira, a calopsita é considerada uma ave doméstica. Geralmente são aves dóceis, afáveis, interativas, divertidas, alegres e simpáticas. Tendem a se apegar com o dono e convivem muito bem com outras espécies. Não requer muito espaço e se adapta muito bem. Garantindo claro, que possua espaço suficiente para que todas as suas necessidades sejam atendidas.

Em condições normais, são sempre muito brincalhonas e simpáticas. Todavia, caso não receba atenção necessária do seu dono, podem apresentar comportamentos agressivos. Amam fazer barulhos e adoram quando o dono interage com elas, além disso são muito inteligentes e ativas.

Se você está disposto em adquirir uma calopsita como pet, é preciso refletir sobre algumas questões antes. Conheça no próximo tópico, o que você precisa saber antes de comprar uma calopsita.

O que eu preciso saber antes de comprar uma calopsita?


Calopsita. Fonte: Divulgação.
A decisão de comprar/adquirir/adotar um animal de estimação é muito importante. Converse com todos da casa e certifique-se de que estão todos de acordo. Afinal, a calopsita pode ser BEM barulhenta quando quer e isso pode atrapalha ou irritar os outros moradores da casa. Dito isso, é fundamental que você tenha certeza de que esse é o momento certo para escolher um novo membro para a sua família. Afinal, são 20 anos de expectativa de vida!


Tenha certeza de que você poderá conviver com o seu pet durante toda a sua vida. Analise se a sua calopsita terá todo o acompanhamento e atenção de que precisar. Se tiver outros pets, pense em como será a convivência entre ambos.

Pense também se terá alguém a disposição para cuidar dela caso esteja viajando ou trabalhando. Certifique-se de que você esteja disposto para arcar com todas as despesas necessárias para com o seu pet, isso inclui alimentação, brinquedos, instalações, consultas ao veterinário e assim por diante.

Essas são algumas das perguntas mais importantes que você deve saber responder e refletir antes de comprar a sua calopsita. A responsabilidade de comprar/adquirir/adotar um pet é importantíssima. Por isso pense muito bem antes de trazer um novo pet para casa.

Tipos de calopsita

Tipos de calopsitas. Fonte: Divulgação.
Diferentemente dos cães e gatos - entre outros animais - as calopsitas não possuem raça. São divididas em tipos. Na natureza, existem os tipos de calopsitas silvestres de cor cinza, apontada como as calopsitas originais. A partir daí depois de diversos cruzamentos, surgiram outros cores e/ou padrões de calopsitas chamadas mutações.

Basicamente, a mutação é alteração da cor em relação ao padrão original. No entanto, as cores giram em torno do cinza, branco e amarelo, podendo apresentar ou não as bochechas laranjas.

Atualmente, existem numerosas mutações cromáticas da calopsita. Muitas delas bem diferentes das que encontramos na natureza. Algumas delas são: arlequim, lutino, opalina (pérola), cara branca, canela, silvestre, nacaradas ou ainda as calopsitas com tonalidades pasteis, prata recessivo ou ainda prata dominante. Há também a calopsita albino, que não é apenas uma mutação, mas que possui um padrão albino.

Diferença entre calopsita macho e fêmea


Em suma, as calopsitas coma coloração cinza, sendo o corpo cinza e cabeça amarela, são relativamente mais fáceis de se distinguir com base na cor de suas plumas. Entretanto, as outras podem dificultar um pouco mais a sua identificação. Todavia, as diferenças comportamentais podem ser suficientes para se conseguir uma identificação.

Macho e fêmea calopsita silvestre. Foto: Divulgação
Geralmente os machos possuem a coloração de suas penas mais marcadas, fortes e acentuadas. Já as fêmeas por sua vez, possuem manchas mais claras e geralmente contra um fundo amarelo ou cinza suave.

Em certas raças, apenas o macho desenvolve uma plumagem amarelada no rosto após a troca de pena. Enquanto que as fêmeas continuam com o rosto de plumas cinza ou ainda castanhas. Ainda de acordo com a cor da plumagem, os machos geralmente apresentam penas mais escuras no corpo todo. Ao passo que as fêmeas são mais claras. Entretanto, é bom ressaltar que a identificação mais apropriada da ave varia muito da raça e tipo da calopsita.

Calopsita voa?

Sim, no entanto o voo é um tema que levanta sempre discussões. Existem os que defendem o corte das asas (desta forma a ave apenas consegue planar) ou ainda os que defendem a todo o custo a manutenção das penas e asas do pássaro, afim de deixá-los voar.

No entanto, o corte das asas é recomendado por inúmeros especialistas (e contestado por outros) que defendem que desta forma, a ave permanecerá segura e longe de acidentes. Uma vez que ela possa bater contra portas, janelas ou paredes.

Esta é uma decisão que você deverá tomar com cautela. Por um lado, a segurança da ave é um ponto a ser considerado, por outro voar faz parte de sua natureza, faz bem para a saúde e bem-estar delas. Além é claro, de ser muito mais divertido.

Caso opte por aparar as asas, o mais recomendado é buscar a ajuda de um especialista. Não é nada complicado, mas com certeza é o mais indicado.

Calopsita fala?

Algumas sim, mas não são todas e não é tão comum assim. Os machos são os mais propensos a aprender a falar e a cantar. Mesmo assim, não é nada como os papagaios. 

Embora sejam quase parentes, as calopsitas possuem uma dificuldade maior em reproduzir sons, palavras e até mesmo frases. No entanto, desde que você tenha uma paciência e dedicação é possível sim ensiná-las.

Como cuidar de calopsita

Saiba alguns dos cuidados básicos que você precisa ter com a sua calopsita:
·         Alimentação: deve ser balanceada com todos os nutrientes de que ela irá precisar;
·         Água: sempre limpa e à disposição;
·       Gaiola: sempre limpa, em local seguro e sem correntes de ar, de preferência de ferro e com diversos poleiros;
·         Asas: recomenda-se o corte, afim de proteger a ave de acidentes;
·       Quedas: cuidado sempre ao manusear a ave, evite andar com ela nos ombros ou coloca-la em locais altos;
·         Frio: proteja-a do frio em local fechado e quentinho;
·       Banho: existem diversas maneiras de dar banho em uma calopsita, seja com spray, banheira de água ou até mesmo durante a chuva (chuvisco). O banho promove o bem-estar do animal e na manutenção das penas.

Ninho de calopsita

Geralmente, as calopsitas não são pássaros difíceis de criar e procriar. Seu ninho é construído em uma caixa de ninho fechada e teve possuir as seguintes medidas: ter entre 35 e 38cm de altura, largura e profundidade de 25cm, além de uma abertura com aproximadamente 8cm.

O que calopsita come

Em suma, a alimentação mais indicada e balanceada para a sua calopsita é composta por diferentes sementes, sendo algumas: painço, linhaça, girassol, etc. Existem também as rações especiais para aves facilmente encontradas em qualquer Petshop.

Uma recomendação de composição do mix de sementes seguem as seguintes proporções: 50% de painço, 20% de alpiste; 15% arroz com casca; 10% de aveia e 5%% de girassol. É bom ficar atento, as sementes de girassol possui uma alta quantidade de gordura, por isso, o ideal é controlar o seu consumo. Caso queira “dar aquele agrado” ofereça no máximo 5 sementes e procure não dar com regularidade.

Uma dica bacana é investir em potinhos tanto para a água, quanto para a comida de materiais mais sólidos como: porcelana, alumínio, inox ou até mesmo o vidro. Os potinhos devem sempre ficar no fundo da gaiola. Desta forma, sua calopsita será obrigada a descer ao fundo da gaiola para se alimentar e consequentemente estará se exercitando. Potinhos de plásticos nunca devem ser usados, já que a ave pode “comer” o potinho.

A alimentação de sua calopsita pode ser completada com diversas frutas e verduras. Todavia, é importante conhecer os alimentos proibidos para o seu pet. Alguns desses alimentos nocivos para a sua ave são: abacate, alface, chocolate, cafeína, sal, sementes de frutas, folhas de batata, feijão, qualquer tipo de gordura e com certeza as bebidas alcóolicas.

Desta forma, caso sua calopsita fique solta pela casa, é bom tomar cuidado para que ela não consuma nenhum desses alimentos proibidos. Afinal, queremos que ela cresça forte e saudável, não é mesmo?

Nomes para calopsita macho

Sugestões de nomes para calopsita macho:
Amendoim; Apollo; Alemão; Aion; Bart; Bartolomeu; Billy; Bruce; Belo; Bidu; Brian; Buddy; Chico; Crush; Capitão; Chuvisco; Du; Dudu; Deninho; Darthanham; Dino; Dema; Elvis; Eros; Einstein; Ênio; Fred; Frodo; Frederico; Félix; Floquinho; Fernão; Fofo; Greg; Gaspar; Geno; Guido; Godoy; Guga; Harry; Hércules; Horus; Hanzel; Igor; Ibsen; Junior; Joca; Juca; Jonas; Juan; Kauã; Kiko; Kito; Lilico; Loup; Luigi; Lupi; Leo; Lincoln; Mingau; Mozart; Mário; Muleque; Miolo; Melqui; Milk; Morpheu; Neco; Nenen; Nate; Natan; Nick; Nickolai; Nino; Nuno; Oscar; Odin; Pikachu; Pepeu; Pépe; Pingo; Pablo; Pablito; Pacco; Paquito; Pilantra; Pirulito; Pierre; Pipito; Pipo; Querubim; Ronny; Sansão; Scott; Sebastian; Salomé; Salém; Triguinho; Tico; Tino; Tchuca; Tutti; Tom; Titinho; Tuca; Tony; Toquinho; Tusca; Thor; Ted; Tchutchuco; Xandu; Winston; Wilson; Yuri; Yan; Zezinho; Zeus; Zen e Zuzu

Nomes para calopsita fêmea

Sugestões de nomes para calopsitas fêmeas:
Avril; Ariel; Atenas; Amy; Babi; Bel; Belinha; Belina; Biba; Brigite; Brendha; Cherrie; Cacau; Charlote; Duda; Dida; Eva; Estrelinha; Filó; Filomena; Fifi; Felícia; Fiona; Gina; Gal; Guta; Gaia; Hanna; Hermione; Hera; Juju; Jurema; Jessy; Jessie; Jade; Janis; Kitty; Kica; Kira; Kiara; Kely; Kyria; Luna; Lilica; Lola; Lili; Lia; Lupita; Mirna; Margarida; Meg; Meggie; Margie; Megan; Mel; Madona; Mandy; Naná; Nairobi; Nani; Nika; Nina; Paola; Pikena; Pri; Paris; Pepita; Penélope; Pandora; Pucca; Phintia; Rosinha; Rubi; Serena; Sandy; Sophia; Sabrina; Sininho; Sasha; Shakira; Tatá; Tieta; Thalia; Vitória; Vivi; Violeta; Violet; Vicky; Yuba e Zinha

Nomes para ambos os sexos de calopsitas

Sugestões para ambos os sexos de calopsitas:
Airy; Angel; Aki; Ale; Baby; Bombom; Bebe; Cacá; Charlie; Cocada; Dolce; Dust; Didi; Doris; Donna; Dalila; Eni; Francis; Fênix; Goldie; Gold; Gucci; Glamour; Juba; Jack; Kaká; Kikita; Leona; Luluca; Laka; Milk; Pipoca; Petit; Paris; Puppy; Paçoca; Sushi; Scrat; Tunica; Tidy; Totta; Tequila; Xuxa; Whisky; Willey; Wine; Yan; Zen e Zuzu.

Gaiola para calopsita

Modelos de gaiolas para calopsita. Fonte: Petz
Ao escolher a gaiola para a sua calopsita, leve em consideração o espaço. Calopsitas em geral, gostam de gaiolas grandes e espaçosas. Adquira um modelo de metal, pois ele é bem resistente as mordidas. Distribua poleiros, barras horizontais e brinquedos. Dessa forma ela poderá se exercitar, brincar e escalar sempre que quiser.

Quanto a limpeza, é muito importante manter a gaiola sempre limpa e higienizada. Procure um lugar sossegado, longe de corrente de ar e de preferência cubra a gaiola com um pano a noite. Assim ela se sentirá muito mais tranquila e confortável.



Brinquedos para calopsita

Assim como já falamos anteriormente, as calopsitas em geral costumam ter um comportamento dócil e meigo. Todavia, se estressam muito facilmente. Para ajuda-las a “descarregar” e se distrair, adicione brinquedos na gaiola, habitat ou espalhe pela casa.

Atualmente existem diversas opções, desde chocalhos, playgrounds, espelhos, argolas ou até mesmo galhos e balanços. Mantê-las ocupadas irá garantir que ela alivie toda a energia e frustração acumulada. Desta forma, você terá sempre uma ave dócil, carinhosa e calminha!
Modelos de Playground para calopsitas. Fonte: Pinterest.

Modelos de Playground para calopsitas. Fonte: Pinterest.



Como ocorre o julgamento do melhor periquito australiano

Um bom juiz é aquele que consegue classificar eficientemente os periquitos australianos fora de seu próprio criadouro. Isto quer dizer que não é fácil fazer um julgamento. A tarefa envolve a comparação de uma ave com a outra. E, muitas vezes, estas são de diferentes tamanhos e formas, qualidades e atributos. Além do fato de as aves se mexerem o tempo todo, o que acaba dificultando ainda mais o julgamento.

Cada juiz tem seu procedimento estabelecido, seu próprio método. No momento do julgamento, é preferível que todos os periquitos estejam em um local ao nível dos olhos do juiz, à mesma altura. Nos campeonatos brasileiros e em grande parte dos clubes, o juiz utiliza uma ampla mesa onde as gaiolas são colocadas, ficando todos na mesma altura e ao nível dos olhos de quem irá julgar os periquitos

primeira avaliação de um juiz é verificar se todos periquitos australianos estão dentro da série escrita. Caso encontre algum que não esteja, este é imediatamente desclassificado por melhor que esta ave possa ser. Nesta avaliação inicial, são verificados pernas, pés, bico e outras partes. Isto porque qualquer deformação nestes quesitos poderá desclassificar o periquito.

Um periquito que não se exibe, não se mostra, voa e se debate na gaiola completamente estressado, acaba não sendo julgado e, consequentemente, é desclassificado, mesmo com chances de ganhar o prêmio. Há também os que não sobem no poleiro, permanecendo somente no fundo da gaiola, correndo de um lado para outro. Além de dificultar o trabalho do juiz, este periquito acaba se prejudicando porque não poderá ser visto adequadamente.

Por isso, é necessário que o criador treine os periquitos para que eles possam, no momento do julgamento, comportar-se exatamente como deseja um juiz. De nada adianta investir capital em matrizes de excelente qualidade e produzir dezenas de bons periquitos australianos, se estes não se deixam avaliar.

Uma medida importante a ser tomada é a aquisição de algumas gaiolas com padrão de exposição. Alguns meses antes do campeonato, o criador deve trocar os periquitos das voadeiras ou viveirospara gaiolas menores e, posteriormente, para a gaiola de exposição

Entretanto, este processo deve ser gradual para que o periquito vá se acostumando com o ambiente. Outra medida que deve ser tomada é a mudança de lugar desta gaiola, pois isso acontece várias vezes durante a exposição. Dar uma batida com os dedos, na gaiola, para que o periquito tome sua posição ideal também é muito importante. O preparo dos periquitos australianosprecisa ser contínuo.
Aprimore seus conhecimentos, acessando os Cursos CPT, da área Aves Exóticas, elaborados pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, entre eles Curso Criação de Periquitos Australianos.
Por Andréa Oliveira/CPT.

Como são classificados os periquitos australianos

https://www.cpt.com.br/cursos-aves-exoticas/criacao-de-periquitos-australianos?af_link=MTY4NywxLDI2LDUxODU=
Clique aqui: CRIAÇÃO DE PERIQUITOS AUSTRALIANOS




Antigamente, nos torneios para exibição de periquitos australianos, era preciso separar os pássaros em grupos, da forma mais homogênia possível, conforme suas características externas. No entanto, isto levava a algumas dificuldades, como saber em quais grupos certos pássaros se encaixavam, pois os genes mutados afetam a coloração da ave. Em outras palavras, existem outras características, muitas vezes não observáveis diretamente, afetadas por tal método de avaliação. 

Para que isso não mais ocorresse, foi estabelecido que os periquitos australianos fossem agrupados em diferentes categorias de concursos, chamadas séries. Assim, a Federação Ornitológica do Brasil (F.O.B.), em conjunto com seu órgão técnico, a Ordem Brasileira dos Juízes em Ornitologia (O.B.J.O.), definiram as regras para o julgamento das categorias de periquitos australianos.

Antes de 1987, os periquitos australianos eram divididos em 12 séries. Mas, a partir desta data,  passaram a ser divididos em 28 séries diferentes. Entretanto, por várias indecisões ou duplicidade,  as regras foram alteradas novamente. Em abril de 1998, a F.O.B. aprovou uma nova proposta, passando os fulvos para uma série mais elevada, além de algumas outras modificações. 

Novas mudanças ocorreram, até se chegar a um novo código de cores, em vigor desde 1999, adotado até os dias atuais.

Vejamos:

P01 - Normal Verde Claro; 
P02 - Normal Verde Escuro e Verde Oliva; 
P03 - Normal Verde Cinza; 
P04 - Normal Celeste; 
P05 - Normal Cobalto, Malva e Violeta; 
P06 - Normal Cinza; 
P07 - Normal Asa Clara e Cinza;
P08 - Normal Asa Canela; 
P09 - Opalino Verde Claro;
P10 - Opalino Verde Escuro e Oliva;
P11 - Opalino Verde Cinza;
P12 - Opalino Celeste;
P13 - Opalino Cobalto, Malva e Violeta;
P14 - Opalino Cinza;
P15 - Opalino Asa Clara e Cinza;
P16 - Opalino Asa Canela;
P17 – Face Amarela;
P18 - Amarelo e Esbranquiçado;
P19 – Lutino;
P20 – Albino;
P21 - Claro de Olhos Pretos;
P22 – Rendado;
P23 - Arlequim Recessivo;
P24 - Arlequim Dominante;
P25 - Arlequim Dominante Australiano;
P26 – Cintilante;
P27 – Corpo Claro (CPCL);
P28 – Fulvo;
P29 – Topetudo;
P30 – Diversos.

Séries Raras - Asas Claras, Asas Cinzas, Amarelos e Esbranquiçados, Claros de Olhos Pretos, Rendados, Arlequins Recessivos, Arlequins Dominantes, Fulvos Topetudos e Diversos.

Aprimore seus conhecimentos, acessando os Cursos CPT, da área Aves Exóticas, elaborados pelo CPT – Centro de Produções Técnicas, entre eles Curso Criação de Periquitos Australianos.